terça-feira, 24 de maio de 2011

Os 70 anos de Bob Dylan


Hoje, 24 de maio de 2011, o Sr. Robert Allen Zimmerman está completando 70 anos. Aos desinformados, o cidadão acima é mais conhecido como Bob Dylan. 

Sim, um dos maiores compositores do último século atinge uma importante marca. Raros são os artistas da década de 60 que chegaram a idade dos 70 mantendo o seu status de importância e relevância no cenário musical. E considerando o carisma de Dylan, talvez somente Sir Paul McCartney chegue aos 70 com tamanha qualidade de material lançado, fãs seguidores de sua carreira e destaque mundial para cada novo CD lançado.

Início de carreira (1962)
A carreira de Dylan começou ainda no início dos anos 60. Com apenas 21 anos, o jovem americano nascido em Duluth, Minnesota, mostrava ao mundo um lirismo e poesia fortemente ligado ao folk de seu país, através do disco praticamente de covers Bob DylanThe Freewheelin' Bob Dylan (1962), o primeiro de uma vasta discografia. Seguiram-se diversos discos de protesto e ótima repercussão nos Estados Unidos, destacando (1963), Another Side of Bob Dylan (1964) e Bringing it All Back Home (1965).

Essencial álbum de Dylan

Aos poucos, o músico foi mudando sua sonoridade, e com a participação do excepcional grupo The Band, empregou a guitarra elétrica nas suas composições, chocando o mundo no Newport Festival do verão de 65 e atingindo uma nova gama de pessoas com álbuns como Highway 61 Revisited (1965), John Wesley Harding (1967) e o excepcional Blonde on Blonde (1966), o qual é considerado o primeiro disco duplo da história do rock.

Um grave acidente em 29 de julho de 66 colocou Dylan de molho por alguns anos, até que ele ressurgiu das cinzas com Nashville Skyline (1969), entrando nos anos 70 com mais sucessos através de álbuns consagrados, onde destacam-se Self Portait (1970) e Blood on the Tracks (1975), este último um dos discos mais tristes já gravado na música.

Dylan em The Last Waltz
Depois, Dylan passou a explorar novos horizontes musicais, e deixou para o mundo duas pérolas: o ao vivo Hard Rain (1976) e Desire (1976), além de estar presente no famoso show de despedida da The Band, o The Last Waltz (1978). Converteu-se então ao cristianismo, lançando os álbuns de canções gospel onde destaca-se Slow Train Coming (1979).

Os anos 80 e 90 já foram mais escassos. Sem a mesma vitalidade dos anos 70 e 60 e fragilizado por sua fraca reputação com os álbuns religiosos, Dylan teve que re-erguer sua carreira, o que foi feito aos poucos com os excelentes álbuns Dylan & The Dead (1989), Good As I Been to You (1992) e Time Out of Mind (1997).

Dois ícones da música no mesmo palco: Bob Dylan e Jerry Garcia (1989)
Na última década, Dylan lançou apenas quatro discos, sendo um deles, Christmas in the Heart (2009) somente com canções natalinas. Porém, esses lançamentos foram suficientes para manter seu nome nas listas dos mais vendidos, e também fazendo shows ao redor do planeta. Além de todos os seus álbuns de estúdio, merecem destaque a série The Bootleg Series, a qual possui (até o momento) nove volumes apresentando diversas raridades ligadas à carreira desse grande compositor norte-americano. O último volume dessa série foi lançado em 2010, com o título The Witmark Demos: 1962 - 1964.

Bob Dylan (2006)
Há um forte boato de que Dylan voltará novamente ao Brasil (o cantor já se apresentou por aqui diversas vezes). Esperamos que sim, ele possa voltar a apresentar seus velhos e novos clássicos que influenciaram desde os Beatles e os Rolling Stones até Bob Marley e Eric Clapton.

Long Live Dylan, e God Bless You Forever!!!!

2 comentários:

  1. Parabéns pela matéria. Mas só uma correção: ele ressurgiu das cinzas com "John Wesley Harding".

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente conheci o gênio Dylan recentemente. Muito preso a música brasileira, deixei de conhecê-lo antes; algo que certamente mudaria minha vida mais cedo! Tudo bem, saberei suprir o tempo perdido. Grande Bob Dylan...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...